As pistolas de massagem são cada vez mais utilizadas e promovidas, inclusive por atletas de alta competição. Mas será que resultam? Sabe tudo neste artigo!

Pistola de Massagem para hipertrofia – A solução para a tua recuperação?

/

Pistola de Massagem – a nova ferramenta para a recuperação muscular!

O que é que faz? Como é que a deves utilizar?
É um bom investimento? Será que resulta?

Encontra tudo o que precisas de saber sobre as pistolas de massagem muscular aqui!

Já tiveste um massagista a perfurar as tuas coxas como se fosse um almofariz a esmagar alhos e coentros? (Espero que tenhas detestado esta analogia, tanto quanto eu!)

Se sim, então sabes que dói.

Mas que sabe muito bem ao mesmo tempo.

Principalmente depois de um treino.

Ou quando estás numa altura de maior stress.

E ainda mais quando tens contraturas na zona massajada.

Ora… a massagem é uma das estratégias de recuperação mais utilizadas.

Nomeadamente pelos atletas do mais alto nível – em busca da melhor recuperação para alcançar o seu melhor rendimento e resultados.

(Já para não falar do relaxamento e “de-stress” físico e psicológico, claro!)

Mas, até há uns anos atrás, estávamos limitados à intervenção de massagistas e fisioterapeutas para fazer este tipo de massagens. As chamadas Massagens Desportivas.

E embora a evidência sobre o impacto das massagens manuais na recuperação pós-treino seja algo dúbia… os preços são elevadíssimos.

E a disponibilidade dos profissionais não é total.

Pelo que surgiram as Pistolas de Massagem.

Pequenas máquinas que conseguem massajar o teu músculo mais do que 2400 vezes por minuto. Pelo tempo que quiseres.

Ao ponto de te conseguir massajar as costas numa questão de minutos… sem ter que pagar gorjetas a ninguém!

Espectacular… não é?

Mas será que as pistolas de massagem resultam?

Como?

E são seguras?

Vamos descobrir!

PISTOLA DE MASSAGEM PARA RECUPERAÇÃO

Quando se fala em pistolas de massagem para recuperação muscular, há logo um nome que vem à cabeça: a Theragun.

A marca líder neste tipo de produtos.

Em termos de produto, trata-se de uma espécie de sistema de vibração/percussão, que visa efetuar percussões muito mais frequentes e profundas do que a intervenção de um massagista.

Tornando-se um trabalho mais profundo no tecido muscular.

Mas…

.

COMO É QUE FUNCIONAM?

Fisiologicamente, ainda não é claro.

Mas há vários mecanismos possíveis e plausíveis:

Uma hipótese plausível, do ponto de vista muscular, é a estimulação do órgão tendinoso de Golgi – uma estrutura dentro do músculo que inibe a contração muscular.

A partir daí, esta massagem poderá ajudar a relaxar músculos que estejam doridos. Ou com um grau de contração residual (tónus muscular) maior – daí a sensação comum de sentir um músculo tenso.

Outra hipótese muito interessante é a sobreposição sensorial da dor.

Isto é: ao massajar um músculo que está dorido (contactando diretamente numa zona onde os teus receptores à dor – nocirrecetores – estão “mais ativos”), pode haver uma sobreposição de sinais sensitivos.

Fazendo com que não sintas tanta dor.

Um pouco como esfregar ou agarrar a perna depois de levar uma canelada – atenua ligeiramente a dor.

Finalmente, surge a hipótese transversal às outras terapias de massagem(rolo de libertação miofascial, massagem manual, bola de ténis, pistola de massagens, etc) – a resposta neural.

Aqui, a intervenção destas massagens modulam a perceção de tua “rigidez”/stiffness e de “tensão” ou laxidez num tecido.

Ou seja, embora a pistola de massagem não reduza mesmo a “tensão” ou “rigidez” de um tecido, pode atenuar estas sensações.

O que te deixa mais predisposto para o treino.

Mas isto resulta?

É giro? É.

Sabe bem? Sabe.

Resulta? Não.

Ou pelo menos: a pistola de massagem não resulta para aquilo que é utilizada.

A pistola de massagem não acelera a recuperação.

Nenhum dos indicadores fisiológicos é alterado de forma significativa quando estas “terapias” são aplicadas após o treino, antes de dormir, etc.

Pode haver uma melhoria na perceção, sim. Mas não confere melhorias na verdadeira recuperação ou performance.

Ou seja, apenas mascara a dor – não resolve quaisquer “problemas”.

Mas isso não quer dizer que sejam completamente inúteis…

Nem toda a esperança está perdida!

A pistola de massagem pode ajudar no aquecimento / preparação do treino.

Através da redução da tua perceção de dores musculares e da “tensão” muscular.

Ou seja, deixa-te a sentires-te mais pronto(a) (ou menos “desabilitado”) antes do treino.

O que te ajuda a aumentar ligeiramente a tua flexibilidade, sem perder as capacidades de produção de força.
(O que tende a acontecer com a maioria das técnicas que visam melhorar a flexibilidade pré-treino)

Então, pode ser uma estratégia interessante para o aquecimento – maioritariamente de um ponto de vista psicológico.

CONCLUSÃO

As pistolas de massagem estão na berra – sim.

Foram altamente promissoras – sim.

Mas, muito sinceramente, o seu efeito é altamente menosprezável.

E face ao preço elevadíssimo e risco de não te trazer qualquer melhoria na performance, não me parece um investimento ponderado.

Na maioria dos casos (e refiro-me mesmo a 99% dos casos), se o dinheiro investido na pistola de massagem for realocado a uma boa alimentação e a um treinador, os resultados serão infinitamente melhores. E por um custo muito menor.

Não só o programa de treino estará sempre adaptado ao atleta (o que contemplará as suas capacidades de recuperação – não precisando de perder tempo com “estratégias de recuperação” ou ferramentas destas). Como o atleta investirá mais tempo e dinheiro nos outros 2 pilares da recuperação – a alimentação e o descanso (ex: sono).

Bons treinos!

E não te esqueças…

QUEBRA OS TEUS LIMITES
REFERÊNCIAS – PISTOLA DE MASSAGEM PARA HIPERTROFIA:

Martin, J. (2021). A critical evaluation of percussion massage gun devices as a rehabilitation tool focusing on lower limb mobility: A literature review.

Konrad, A., Glashüttner, C., Reiner, M. M., Bernsteiner, D., & Tilp, M. (2020). The Acute Effects of a Percussive Massage Treatment with a Hypervolt Device on Plantar Flexor Muscles’ Range of Motion and Performance. Journal of Sports Science & Medicine, 19(4), 690.

Chen, J., Zhang, F., Chen, H., & Pan, H. (2021). Rhabdomyolysis After the Use of Percussion Massage Gun: A Case Report. Physical Therapy, 101(1), pzaa199.

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *